Blogger

Blogger
Morena - Autora

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Eu quero um amor que seja bom pra mim...

Acho que no fim das contas, nas somas e subtrações do coração, todo mundo quer um amor assim. Acontece que, o que é bom pra um, pode não ser bom para o outro, e aí está a mais difícil das equações: A do tipo amorosa.
Porque atração é coisa fácil de resolver. Expectativas se multiplicam com doses cavalares de encantamento, e quanto maior é o desejo, mais se inflama a paixão. E gente apaixonada é tudo igual! Quem não gosta das tais borboletas na barriga? Não somos bestas! Somos um tanto cegos, meio surdos, arrogantes, tontos, excessivamente confiantes, e um monte de coisas… Mas bestas, não!
Aí o romance engrena, botamos fé, tacamos lenha na fogueira, enchemos o tanque de combustível. Um empurra enquanto o outro dá a partida. E aos poucos nos despegamos da bruma da paixão… Até que um insiste em seguir adiante e o companheiro diz que precisa parar e descansar. Discutem se ir para a esquerda ou direita, se subir o morro ou descer a ladeira. Tudo parecia tão fácil! A rota já tinha sido traçada lá atrás. Por que isso, agora?
Um foi, o outro ficou. É sempre assim… O coração mais parece uma casa abandonada, dessas que o caminhão de mudança levou tudo embora e deixou apenas as lâmpadas sem os lustres, algumas caixas de papelão vazias pelos cantos, o chão sujo e aquela velha sensação de solidão e recomeço forçado.
Buscamos tanto e tantas coisas uns nos outros. Há quem queira a sorte de um amor tranquilo e àqueles que fariam de tudo por um amor louco. Procura-se banhos noturnos de chafariz, risadas por conta das topadas e desgraças da vida, alguém leve para multiplicar alegrias bobas. Em contrapartida, tem gente de olho num amor de fim de semana, do tipo que não divide casa, contas, nem cama. Enquanto uns anseiam por andar de mãos dadas e ter alguém para chamar seu, outros querem um cartão de crédito platinum, viagens de primeira classe e champanhe no café da manhã. Tem quem não ligue em compartilhar um amor, desde que lhe seja conveniente. Uns sonham com dormir de conchinha, fazer massagem, receber cafuné, plantar flores no jardim, cachorro latindo, crianças correndo.
Cada um tem a sua lista de requerimentos. Há de ser amante dos livros, interessado por MPB, gostar de cinema e pipoca no sofá em dia chuvoso. Não se esquecendo de ser esportista, bom cozinheiro, gostar de discutir relação e ser paciente com a TPM. Meu respeito aos mais diversos tópicos para preencher um coração solitário, mas eu busco, mesmo, um amor que seja bom pra mim. Bondade não nos olhos da submissão, mas que seja bom em conteúdo amplo e grandioso. Que me faça bem, que me queira bem, que me respeite e me admire. Um homem de bem que me cuide e que me ame.
Quero alguém de bom coração, de alma leve e sentimentos profundos, que queira dividir seu tempo e seus gostos, que venha para somar sorrisos e intimidades, que multiplique amor em cada gesto, nas mãos entrelaçadas e nos olhares cúmplices. É isso. Que o amor se multiplique, sobretudo em almas afins e disponíveis para amar.
Eu quero amor que seja bom pra mim. Vou procurar, eu vou até o fim…

Texto de Karen Curi


quarta-feira, 22 de julho de 2015

Slipknot - Vermillion Pt. 2 [OFFICIAL VIDEO]





Vermelhão Parte 2 


Ela pareceu vestida toda para mim
Constrangia-se através da minha vergonha
Todo o tormento e dor
Vazaram e me cobriam
Eu faria qualquer coisa para tê-la para mim
Só para te-la para mim

Agora eu não sei o que fazer
Eu não sei o que fazer
Quando ela me faz triste

Ela é tudo para mim
Um sonho incorrespondido
Uma canção que ninguém canta
O inatingível
Ela é um mito que eu tenho que acreditar
Tudo o que necessito para fazer isso real é mais uma razão

Eu não sei o que fazer
Eu não sei o que fazer
Quando ela me faz triste

Mas eu não vou deixar isso crescer dentro de mim
Eu não vou deixar isso crescer dentro de mim
Eu não vou deixar isso crescer dentro de mim
Eu não vou deixar isso crescer dentro de mim

Uma captura em minha garganta, sufoco
Rasgo em pedaços
Eu não quero, não!
Eu não quero ser isso

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Por que não ser o diferente?

Não é fácil encontrar alguém disposto a se entregar por inteiro, entende? Difícil e raro são as  pessoas que pensam assim, seria simples, entenderia que sua vida junto a outra viraria uma mistura de sentimentos emaranhados e ao mesmo tempo, intenso e prazeroso de sentir.
Faz quanto tempo que não sente um friozinho na barriga, um sorriso bobo em meio a um dia cheio de trabalho, o apetite minimizado ou então aquela acelerada básica ao lado esquerdo do peito? Pois é, já pensou que essa coisinha que bate ai no seu peito, precisa de um up, algo que revitaliza todo seu eu interior... Dizem por aí que o nome dado a esses sintomas é a famosa “paixão” e quem nunca sentiu?
Em toda parte do mundo, alguém desejou eternizar esses sintomas, sorriu ao ver uma mensagem naquela noite de insônia, compartilhou um vídeo engraçado.
Você permitiu alguém aproximar do seu eu? Se a resposta for não, por que então não deixar envolver em meio à magia de um olhar, um toque suave em sua nuca, sentir a respiração cada vez mais próxima de seus lábios?
Claro, entendo que na teoria é lindo, sei também que mais de 80% das pessoas talvez não pensem assim, ou até pensem, mas agem diferentes, não creem que possa existir um ser humano que queira algo além de sexo e acabam desacreditando de seus sonhos para entregarem na podridão de uma noite sem compromisso, encharcadas de álcool, envolvida em um lençol de pornografia e adormecida pela satisfação do tesão de algumas horas.

Pensa bem, não é gostoso ser diferente em um mundo onde a maioria é igual? Não desista do que você é dos seus princípios e nem de suas opiniões. Saiba que existe sim, em algum lugar do mapa, uma pessoa que pensa como nós, então, não desistir da tal paixão é o que nos diferencia entre a multidão. 

Escrito por Morena 

Alter Bridge - Broken Wings [Live in Amsterdam]





Feliz Dia do Rock!

Zé Ramalho - Sinônimos

domingo, 5 de julho de 2015

Foo Fighters - Times like these

Cansei de esperar

Sabe quando aquele sentimento de não ter sentimento te pega, te destrói e te deixa no chão? Sem mais nenhuma pontinha de esperança? É tão ruim sentir-se assim, praticamente desiludida da vida, uma sensação que você está viva mas não consegue viver, não gosta de ninguém, não se abre com as pessoas, mas isso não é tão horrível assim, é?
Não há pessoas para se amar, nem que queiram amar sem interesse algum, é ridículo o ponto em que as coisas chegaram, mas é a realidade, o cansaço chega para todos, não há mais o que esperar e nem quem esperar, se entregar à alguém é cada vez mais impossível, pois não existe quem queira ser amado. 
Essa fase da vida não é tão gostosa para quem não se encaixa nos moldes da sociedade, sabe aqueles momentos de festas, curtição e pegação? Pois bem, não encaixo nesse padrão e por isso a nostalgia é tão intensa, por que queremos mais, alguém para dividir nossos momentos, um alguém só para amar e fazer amor. Isso infelizmente é exceção e o que resta é a doce e amarga, solidão.

Escrito por Morena